RESENHA CRÍTICA

FORMAÇÃO DE TROMBOS EM CATETERES DE HEMODIÁLISE:

Avaliação das estruturas micro morfológicas e estudo numérico do comportamento do escoamento venoso


Tese de Thabata Coaglio Lucas

O artigo em questão trata de um estudo realizado em um centro de hemodiálise em Ribeirão Preto. Este avalia e descreve as complicações mais frequentes nos cateteres de duplo lúmen de curta permanência.

“Estima-se que em torno de 8% dos pacientes com IRC em tratamento hemodialítico no Brasil fazem uso de cateteres de uso temporário ou permanente. O cateter temporário de duplo lúmen apresenta vantagens como: praticidade, rapidez na implantação, uso imediato, é indolor durante a sessão de hemodiálise, produz baixa resistência venosa e é de retirada rápida e fácil. Os principais motivos que levaram as trocas dos cateteres foram: 40 (27,6%) febre, 32 (22%) punção de FAV e 26 (17,9%) funcionamento inadequado, dentre outros. De acordo com os resultados apresentados é possível verificar que o funcionamento inadequado do cateter em 41 (64%) pacientes representou a complicação mais frequente com 26 dias de média para sua ocorrência. Os cateteres utilizados por períodos prolongados apresentam taxas variadas de fluxo sanguíneo, em média de 200 a 250 ml/min. O uso de acesso com baixa taxa de fluxo sanguíneo resulta em diálise inadequada e pode contribuir para a alta morbimortalidade dos pacientes. Do ponto de vista dos fatores das complicações decorrentes do uso do Cateter temporário de Duplo lúmen (CTDL) os estudos mencionam que os principais fatores de risco podem estar relacionados à condição clínica do paciente, ao tipo de cateter, à habilidade técnica do profissional, internações em centros de terapia intensivas, tempo de permanência do cateter, manipulações excessivas e/ou inadequadas, dentre outras. Uma das complicações relacionados ao uso do cateter foi o funcionamento inadequado que acarreta dentre outros agravos, um fluxo sanguíneo insuficiente para a hemodiálise. Esta complicação pode ser justificada pela posição inadequada da ponta do cateter ou pelo aumento da pressão venosa no sistema de hemodiálise. Outro fator que pode levar ao funcionamento inadequado do cateter é a formação de trombos que são confirmados por meio do exame de angiografia.”

Orifícios laterais dos cateteres venosos centrais podem favorecer o distúrbio no escoamento proporcionando um ambiente hemodinâmico crítico que estimula o desenvolvimento da fibrina e do trombo venoso. O sistema de diálise evoluiu e por sua vez os cateteres também. O cateter duplo lúmen para hemodiálise High Flow foi criado para ter um formato hemodinâmico, ponta distal em elipse com uma única entrada e única saída para o sangue, direcionando o fluxo e evitando a formação de coágulos. Além disso a sua parede interna é mais fina, o que possibilita um maior diâmetro interno. O material do qual o cateter é fabricado é o poliuretano e por ser termossensível, se adapta a anatomia do paciente devido à temperatura corporal do indivíduo.



Por:

Jéssica França Morais

Especialista de Produtos

(31) 3688-1901 | (31) 3689-9934 (31) 99848-5932

jessica.morais@medika.com.br



Quer saber mais sobre a linha de Hemodiálise?

Entre em contato conosco!


Posts Em Destaque
Posts Recentes