EPI X Equipamento seguro: Você sabe a diferença?

Utilizar Equipamento de Proteção Individual (EPI) é primordial para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. No entanto, se não for acompanhado de medidas coletivas e administrativas, o risco dos profissionais da saúde aumenta significativamente.


De acordo com as “Recomendações para proteção e monitoramento de Trabalhadores de Serviços de Saúde (TSS)”* da Associação Paulista de Medicina do Trabalho - APMT, são medidas coletivas e administrativas:

  • garantia de ventilação adequada, com direcionamento do fluxo de ar e sua respectiva filtragem;

  • frequência na realização de procedimentos de limpeza e de desinfecção, com eficácia e de acordo com as normas de biossegurança;

  • prática do distanciamento de um metro entre paciente e profissional de saúde quando não há necessidade de efetuar procedimentos;

  • instalação de barreiras físicas para separação de ambientes contaminados e medidas administrativas para separação de pacientes contaminados;

  • limitação do número de profissionais em áreas de convivência;

  • fornecimento de insumos de higiene;

  • proibição de aglomerações de acompanhantes e pacientes;

  • identificação e sinalização de áreas em que ocorrem procedimentos geradores de aerossóis.

Além disso, o uso de recursos terapêuticos respiratórios – como a ventilação mecânica não invasiva (VNI), o uso de cânula nasal de alto fluxo (CNAF) – a realização de outros procedimentos – como procedimentos de intubação traqueal e traqueostomia, que geram aerossóis – apresentam risco três vezes maior de contaminação de profissionais de saúde. Nestes casos, medidas adicionais (como a manutenção de pacientes em quartos isolados, com pressão negativa e material-médico hospitalar seguro) também devem ser observadas.


A utilização correta de EPI, medidas coletivas e administrativas eficazes e material médico- hospitalar seguro, oferece maior segurança para os profissionais da saúde e pacientes.


Conheça o SISTEMA FECHADO PARA ASPIRAÇÃO TRAQUEAL, indicado para realizar aspirações de secreções traqueais em pacientes em terapia intensiva ou qualquer situação onde há a necessidade de ventilação mecânica, permitindo a aspiração e ventilação concomitantes.


* Recomendações para proteção e monitoramento de Trabalhadores de Serviços de Saúde (TSS)


Fonte de pesquisa: InformaSUS UFSCAR



Posts Em Destaque
Posts Recentes